Formas - Seda

Detalhe de um Robe de Seda da Dinastia Han

Um dos legados mais belos e sugestivos da China à humanidade é a seda. De origens desconhecidas, que se encontram no mundo da lenda, a seda já era produzida no país no terceiro milênio a.C., durante o Neolítico. O seu processo de elaboração, um dos segredos mais bem guardados pelos chineses durante séculos, era extremamente complexo. Cada fase, como a criação e alimentação, à base de folhas de amoreira branca, das lagartas (muito sensíveis aos ruídos, cheiros e temperaturas), a obtenção do filamento contínuo que formava o casulo antes deste ser rasgado pela saída da crisálida transformada em borboleta, e as restantes tarefas de constituição de fios, tecido, aplicação de tintas cromáticas, estampados, bordados, adamascados, brocados, etc., requeriam cuidados constantes, além de muita destreza e paciência. Artigo reservado originalmente ao uso da família imperial e à nobreza, a seda foi utilizada principalmente na elaboração de objetos e roupa de luxo, autênticas obras de arte apreciadas pelo seu colorido, espessura, solidez, voluptuosidade, maciez e brilho. Também foi utilizada como suporte de pinturas, cordas de instrumentos musicais e até em redes de pesca. Durante a Dinastia dos Han, a seda foi incorporada aos circuitos de comércio internacional, dando o seu nome à famosa Rota da Seda, importante rede de comunicação que ligou por terra e mar o Extremo Oriente Asiático ao mundo Ocidental a partir do século I a.C.

por E. Baguena